Desatinos...

Este é o meu terceiro lar, meu refúgio... Onde juntoletras e tento traduzir sentimentos. É um lugar de saudade, pois sempre falo com uma certa dose de nostalgia, na verdade sou um pouco antiquada com ares de pós-moderna...

terça-feira, 31 de março de 2009

Março se vai...

O cotidiano tem sugado minha habilidade de escrever com mais leveza. É, eu já não posto como antes... Retrato fatos, pinto em preto e branco a realidade superficial que logo será esquecida. Na maioria das vezes, o jornalismo é tão passageiro. Logo essa obra (?) vai embrulhar copos, esconder vitrines e levar o peixe do mercado...

Criar é mais emocionante e autêntico, certa vez li uma reportagem sobre a obra de Leminski, cujo autor escreveu que a linguagem não é transparente e a literatura não faz parte do comércio de espelhos. Achei lindo!

Sempre gostei de me esconder, de dizer nas entrelinhas o que as palavras camuflam e os sentimentos entregam de mão beijada e coração aberto. Deve ser por isso que as palavras dos apaixonados são mais bobas... Deliciosamente recheadas de clichês e saudades...

Março passou tão ligeiro, minha agonia se dissipou ainda mais rápido, como a chuva que se forma em dias ensolarados, alaga ruas e de repente acaba... Lá vem o sol de novo. Chega abril carregado de feriados, dias preguiçosos, acalanto de beijos prometidos e desejados.

Doce abril...

Um comentário:

7uto disse...

você me faz pensar no tempo de um jeito diferente... abril umas mil possibilidades em minha mente. já sou tio sabia, engraçado que foi em no primeiro dia desse mes.