Desatinos...

Este é o meu terceiro lar, meu refúgio... Onde juntoletras e tento traduzir sentimentos. É um lugar de saudade, pois sempre falo com uma certa dose de nostalgia, na verdade sou um pouco antiquada com ares de pós-moderna...

domingo, 28 de dezembro de 2008

Solidão

A maior solidão de todas é não ter para onde ir quando a vontade de correr aperta. Uma vontade de fuga infeliz que é estrangulada pela tristeza e abandono. Hoje senti dependência e submissão quando tentava acalmar meu descontrole interno... Minha fôrma não é essa, não dá para me moldar a todas as situações. Justo, foi você que me anulou como fresca. Eu calei todas as outras palavras.

Desci num esgoto de outro mundo e me senti assim, uma pessoa fora de seu habitat, uma estranha que enxerga o mundo torto, barulhento, feio e com fumaça...Hoje fumei mil cigarros sem dar um trago sequer, nicotina que parou na garganta e não me deixa dormir...Isso não me deixa de bom humor, tenho dor nos olhos, a cabeça pesa uma tonelada de coriza, febre fraca que gera atrito entre o corpo e a roupa. A pior coisa que fiz neste final de ano, foi sair desse jeito e para aquele lugar.

Juntei as mãos e lavei o rosto com a água daquele banheiro fedido. Ao me olhar no espelho senti vontade de chorar.

Solidão é não ter para onde ir... é calar o choro... é ter o corpo frio sem abraço...é construir muros na falta de palavras.

Um comentário:

7uto disse...

queria estar contigo... dividir os cigarros